venerdì 6 giugno 2008

Noite de Fado



Com alguns dias de atraso, aqui vimos dar notícia do grande sucesso que foi a "Noite de Fado 2008", no pátio de Santo Anónio dos Portugueses.

Os 260 lugares foram escassos para o enorme número de pessoas que acorreu à Via dei Portoghesi.

Conhecida na cidade como uma ocasião única no ano, a noite de Fado realiza-se desde 1999, data que coincide com as grandes obras que recuperaram os prédios do Instituto Português de Santo António.

Espaço romântico e escondido no centro histórico da cidade de Roma, o pátio enche-se de cadeiras, e sob a benção de um Santo António de Leopoldo de Almeida, que por aqui passou nos anos 20 como bolseiro do Estado Português, dá-se início ao grande momento.

Como vem acontecendo nos últimos anos, a noite contou com a presença de dois virtuosos músicos de Lisboa: Paulo Valentim à guitarra portuguesa e João Veiga à guitarra clássica. E, mantendo-se a tradição de a cada ano se apresentar uma jovem promessa da canção nacional, chegou este ano a Roma a voz de Ana Marta.

Ana Marta é uma muito jovem fadista, nascida e criada em Alfama, filha e neta de "alfacinhas" desse bairro antigo e popular, onde o fado lhe foi, por assim dizer, natural. Em Lisboa começa a afirmar-se, actuando na importante casa de fados "Faia".

A noite foi muito animada, e a actuação, registada pela Academia Brunelli, em breve estará disponível em CD.



Entretanto, aqui fica a lista dos temas da noite:

Variações em Mi menor
Sempre que Lisboa canta
Maldição
Marcha de Alfama
Porque teimas nesta dor
Não chamem nomes ao Fado
Foi longa a noite passada
Findar em teus braços
Não chames pela Saudade
O fado mora em Lisboa
Cheira bem, cheira a Lisboa
Eu vi minha Mãe rezando
Chitarra suona più piano
Havemos de ir a Viana
Uma casa portuguesa
Careca
Lisboa Antiga


PARABÉNS AOS ARTISTAS!

2 commenti:

Roberto ha detto...

Che atmosfera sabato scorso nel cortile dell'Istituto Portoghese di S. Antonio! E' stato difficile, uscendo, ritrovarsi in una città che non fosse Lisbona. Il suono suadente delle chitarre ha accompagnato il potente timbro della brava e bella cantante che ha voluto offrire al pubblico anche una canzone italiana degli anni lontani in cui ero ragazzo: l'ho sussurrata con lei, assaporandone l'insospettato retrogusto fado. Grazie! Roberto

Costanza ha detto...

Non ci sono parole per riuscire a descrivere la bellezza della voce di questa bravissima e giovanissima fadista. Aspettiamo con ansia il suo ritorno;-)