venerdì 28 marzo 2008

Abril: mês de um músico italiano que estuda Português...


FANTIN-LATOUR Henri
Ecole française

Autour du piano
RF 23522, Recto Fonds des dessins et miniatures Grand format
© Musée du Louvre, Département des Arts graphiques



O nosso amigo Francesco D'Atri, pianista, historiador da arte e aluno de Português no Instituto de Santo António, realiza, dentro de duas semanas, um concerto na Igreja do Espírito Santo dos Napolitanos, em Roma. O seu convite - em português - segue aqui:




Queridos Amigos,

nos próximos dias 6 e 7 de Abril, respectivamente às 18,30 e às 19,45, darei um concerto na Igreja do Espírito Santo dos Napolitanos, na rua Júlia (Via Giulia), n° 34 em Roma.

Gostaria muito que todos os meus amigos do curso de língua portuguesa viessem a ouvir-me.

O programa do concerto é o seguinte:



Johann Sebastian Bach
(Eisenach 1685 - Lipsia 1750)
Concerto em do min. para dois pianos e istrumentos de corda,
BWV 1060 (1735)
- Allegro
- Adagio
- Allegro
Orquestra de istrumentos de corda "Orazio Vecchi"
Alessandro Anniballi, chefe
pianistas: Francesco d'Atri, Riccardo Samaritani

Antonio Vivaldi
(Venezia 1678 - Vienna 1741)
“Gloria” em Re magg. para solos, coro e istrumentos de corda,
RV 589 (1715?)
Coro e Orquestra de istrumentos de corda "Orazio Vecchi"
Alessandro Anniballi, chefe
Nana Tanaka, soprano
Chiara Guglielmi, contralto

Johann Sebastian Bach
Concerto em do min. para dois pianos e istrumentos de corda,
BWV 1062 (1735)
- (sem indicação do tempo)
- Andante
- Allegro assai
Orquestra de istrumentos de corda "Orazio Vecchi"
Alessandro Anniballi, chefe
pianistas: Francesco d’Atri, Claudio Anguillara



Espero encontrar-vos e agradeço a todos pela vossa atenção

Francesco d’Atri




Francesco d’Atri nasce a Castrovillari (CS) nel 1958. Inizia giovanissimo gli studi musicali diplomandosi in Pianoforte. Parallelamente coltiva gli interessi letterari e si laurea in Storia dell’Arte, discutendo una tesi di Arte contemporanea dal titolo “Dall’informe all’Informale” in cui segue il percorso di questa corrente artistica, dalle macchie leonardesche fino agli estremi sviluppi dell’Espressionismo astratto e dell’Action Painting americana. Grande è la sua passione per la pittura italiana del ‘300 e per il Settecento europeo e francese in particolare.Svolge attività concertistica, come solista e in formazioni cameristiche. Nel suo repertorio mostra una particolare predilezione per Bach, Schumann e Brahms. Ha curato studi sulle commistioni artistiche nelle correnti Dada e Surrealista.Nel 2007 pubblica “Antiche lettere”, che è il suo secondo lavoro letterario dopo “Citera” del 1997.

2 commenti:

Costanza ha detto...

Querido Francesco,
assisti ao teu concerto.
Agradeço-te ainda muito para o convite:-)
Não tenho palavras para descrivir a atmósfera que havia…Foi maravilhoso e além disso, foi um prazer ver de novo a igreja….Não me lembrava que fosse tão bonita. E a vossa música tornou tudo ainda mais bonito. Vamos chamar-te de "Francesco dalle mani d'oro";-)Ficarei à espera do proxìmo concerto...quem sabe....talvez no Santo António;-)

Ivana ha detto...

Querido Francesco,
ontem, na estupenda Igreja do "Santo Spirito dei Napoletani" vi e ouvi o teu concerto.
A musica tuda foi maravilhosa e o som encantador do teu piano emocionou-me.
A quando a proxima emoçao?
Obrigada Francesco, obrigada pelo convite.