martedì 1 luglio 2008

Verão de Sophia


Os dias de Verão vastos como um reino
Cintilantes de areia e maré lisa
Os quartos apuram seu fresco de penumbra
Irmão do lírio e da concha é nosso corpo

Tempo é de repouso e festa
O instante é completo como um fruto
Irmão do universo é nosso corpo

O destino torna-se próximo e legível
Enquanto no terraço fitamos o alto enigma familiar dos astros
Que em sua imóvel mobilidade nos conduzem

Como se em tudo aflorasse eternidade

Justa é a forma do nosso corpo


Sophia de Mello Breyner Andresen

2 commenti:

Roberto ha detto...

L'incontro con Sophia de Mello Breyner Andresen mi tocca l'anima, ogni volta.
La sua immagine, irragiungibile, mi affascina: preziosa gemma della cultura portoghese.

via dei Portoghesi ha detto...

Sophia cantou nos seus versos exactos, concretos, luminosos e simples o Mediterrâneo. Itália e a Grécia que no cal das casas brancas se irmanam ao Portugal do sul.