lunedì 11 gennaio 2016

CHRISTINE VITALI: Natal em família


A nossa aluna CHRISTINE VITALI brinda-nos com este texto divertido sobre o seu Natal em família – com o vocabulário das relações familiares fresco fresco!

Muito e muito obrigado, Christine.

A fotografia – também por ela enviada – retrata o seu filho e o seu sobrinho ao lado da avó.

 


 
O Natal dos nossos tempos não tem muitas ligações com o nascimento de Jesus. Tornou-se um pretexto para reunir a família, partilhar refeições, presentes e tempos livres, e tentar expressar amor e estima aos membros da família e também aos amigos. Assim, Natal é uma festa feliz, muito bem-vinda e internacional.

Eu faço férias de Natal muito especiais: estou com a família de meu ex-marido, mas sem ele! Porque divorciei-me dele, mas não me divorciei-me da sua família.

Estou com os nossos 3 filhos (2 filhas e um filho). E com os avós deles (que são o meu sogro e a minha sogra), os tios e as tias deles (que são os meus cunhados e as minhas cunhadas), os primos e as primas deles (que são os meus sobrinhos e as minhas sobrinhas). Todos com o/a relativo/a esposo/esposa. Obviamente, estas frases têm de ser lidas com a palavra "ex" a frente da relação, exceto para os meus filhos!  Há também o meu genro (que é o cunhado dos meus outros filhos) e a minha neta (que é a sobrinha deles); alem do mais, há a primeira mulher de meu ex-marido com o suo parceiro.

Somos um grupo de 20 pessoas + 3 cães. As idades vão dos 2 anos (a minha neta) até aos 96 anos (os meus sogros). Usualmente moramos em 5 países diversos e falamos 3 línguas. No Natal encontramo-nos na Toscana, cada ano numa cidade diferente. Ninguém gosta de cozinhar, então para fazer umas férias mais tranquilas, ficamos num hotel com restaurante.

Os nossos quartos no hotel são todos no mesmo andar (ou, se não é possível, nos dois andares) e passeamos entre eles para fofocar e dar-nos as ultimas noticias. Os cães ficam muito contentes de toda esta confusão.

No dia 24 dezembro à noite, jantamos no hotel. Depois do jantar, noutra pequena sala privada, jogamos jogos de sociedade e trocamos presentes. Cada pessoa só oferece uma prenda, então há 20 presentes para 20 pessoas e lançamos à sorte para saber quem recebe o quê. A menina mais nova distribui-os. À meia-noite, alguns vão à igreja para a missa do Natal.

No dia 25 dezembro, dia do Natal, é um dia descontraído. Damos um passeio na cidade (embora todas as lojas estejam fechadas), admiramos os monumentos locais, almoçamos juntos no restaurante por horas e sentamo-nos nos cafés.

No dia seguinte, todos os membros da família voltam para a própria casa depois de almoçar juntos.

O nosso Natal é uma oportunidade para encontrar-se e passar tempo agradável em família.

 

CHRISTINE VITALI

1 commento:

mtt ha detto...

lançar à sorte os presentes é uma coisa verdadeiramente genial! se pode acontecer o que ninguém imagina... Espero que depois da meia-noite não seja permitido trocar os presentes!