lunedì 21 marzo 2016

Dia mundial da poesia

Quem falou de primavera

sem ter visto o teu sorriso,

falou sem saber o que era.



Onda  de Cecília Meireles


Quem falou de primavera
sem ter visto o teu sorriso,
falou sem saber o que era.

Pus o meu lábio indeciso
na concha verde e espumosa
modelada ao vento liso:

tinha frescuras de rosa,
aroma de viagem clara
e um som de prata gloriosa.

Mas desfez-se em coisa rara:
pérolas de sal tão finas
- nem a areia as igualara!

Tenho no meu lábio as ruínas
de arquiteturas de espuma
com paredes cristalinas...

Voltei aos campos de bruma,
onde as árvores perdidas
não prometem sombra alguma.

As coisas acontecidas,
mesmo longe, ficam perto
para sempre e em muitas vidas:

mas quem falou de deserto
sem nunca ver os meus olhos...
- falou, mas não estava certo.

CECÍLIA MEIRELES

4 commenti:

angela ha detto...

Obrigada.
Eu gosto muito de poemas.
Boa primavera!
Angela De Chirico

Christine Vitali ha detto...

Belissimo ! E bom dia da poesia !

angela ha detto...

Uma poesia portuguesa

PROMESSA

És tu a Primavera que eu esperava,
A vida multiplicada e brilhante,
Em que é pleno e perfeito cada instante.

SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN

e uma poesia italiana

SONO NATA IL VENTUNO A PRIMAVERA

Sono nata il ventuno a primavera
ma non sapevo che nascere folle,
aprire le zolle
potesse scatenar tempesta.
Così Proserpina lieve
vede piovere sulle erbe,
sui grossi frumenti gentili
e piange sempre la sera.
Forse è la sua preghiera

ALDA MERINI

via dei Portoghesi ha detto...

Muito bonitas, Angela! Muito obrigado!