mercoledì 31 gennaio 2018

A MÁSCARA: Antonella Miceli



Convidámos alguns alunos de Português do nível avançado para escreverem, livre e criativamente, sobre um tópico genérico: a máscara.
Eis o texto da ANTONELLA MICELI, a quem muito agradecemos!




Já está a chegar o Carnaval, as crianças pensam nas máscaras que irão usar: tartaruga Ninja, Manga japonês, personagem de ‘Guerra das Estrelas’... encherão as ruas com papelinhos. As máscaras da minha infância, Arlecchino, Pantalone, Pulcinella, já não existem mais. Eu gostava de Arlecchino porque o traje dele era colorido e porque ‘rindo, dizia a verdade’.
As máscaras de hoje, como aquelas de ontem, talvez representem o que nós gostaríamos de ser e não podemos ou não sabemos ser. Elas são o nosso escudo para enfrentar uma realidade todos os dias mais difícil; os meninos disfarçam-se de personagens fortres porque assim podem fingir não ser tão vulneráveis.
Uma mascara está bem para todas as ocasioes. Podes disfarçar o sofrimento atrás de uma gargalhada desenfreada, podes disfarçar a inveja atrás de um elogio, podes fingir ter uma vida maravilhosa e morrer de solidão dentro de ti.
Mas há um momento em que tens que saber retirar a tua máscara e falar contigo mesmo, para saber quem tu és na verdade e o que é o que tu queres na verdade. Isto não é fácil. Se puderes fazê-lo, este será um dos momentos mas importantes da tua vida.

ANTONELLA MICELI

1 commento:

Nicoletta Del gaudio ha detto...

Obrigada Antonella para as tuas reflexões! A sinceridade, a verdade é a chave principal em todas as relações até com nos mesmos!